Lei de Resíduos Sólidos carece de comunicação empresarial

A partir de agosto deste ano, a Lei de Resíduos Sólidos (Nº 12.305) entra em vigor e a comunicação interna pode ser uma importante ferramenta neste momento de mudanças. Por meio da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), fabricantes, importadores, distribuidores e vendedores são obrigados a recolher e a destinar corretamente o lixo produzido em diversas etapas: no desenvolvimento do produto, na obtenção de matérias-primas e insumos, na produção, no consumo e na disposição final. A lei vai exigir que muitas empresas desenvolvam um sistema de logística reversa, que permita o retorno dos resíduos à indústria para serem reaproveitados.

Caso contrário, pessoas físicas ou jurídicas estão sujeitas às penalidades previstas, que vão de multa à prisão. Os consumidores que não fizerem a separação dos resíduos ou o descarte adequado de pilhas, baterias, lâmpadas ou pneus, por exemplo, serão advertidos e, em caso de reincidência, pagarão multas que variam de R$ 50 a R$ 500. Para as pessoas jurídicas, a lei prevê aplicação de multas administrativas que podem chegar a R$ 50 milhões.

Diante desse novo cenário, as empresas precisam se estruturar. Desde a coleta seletiva até as adequações para um processo industrial mais sustentável, as mudanças devem contribuir para uma nova cultura na empresa. Mas como conseguir o engajamento necessário? Como despertar a atenção para o problema? Pois, afinal, a lei não aplica apenas as empresas, mas as pessoas em geral nas suas casas, no seu dia a dia.

Para começar, o primeiro passo é a criação de uma campanha de comunicação interna considerando uma forma criativa, atrativa e que desperte o interesse geral dos empregados. Uma campanha de comunicação interna, que motive os colaboradores a mudarem os hábitos, certamente o maior desafio, e que informe como deve ser feita a destinação correta e os novos processos.

Para fazer sua comunicação interna de maneira profissional e assertiva, conte com a Press! Desenvolvemos um conceito e uma identidade visual, que nortearão as ações e a criação de peças impressas e eletrônicas,  tornando a sua empresa um exemplo de sustentabilidade. Discurso e prática devem fazer sentido para os empregados se engajarem à proposta da empresa.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *